As concessões da CCR são atualmente detidas por meio de dezenove sociedades de propósito específico.

A CCR adquiriu a participação nas Concessionárias em decorrência da conferência em aumento de capital implementado da totalidade da participação detida por Andrade Gutierrez, Camargo Corrêa, Odebrecht, Serveng e SVE no capital das Concessionárias. Em geral, a Companhia possui todas as ações de suas controladas, com exceção, no caso da ViaLagos, de uma quantidade pouco significativa de ações detidas pelos respectivos conselheiros e, no caso da Rodonorte, das ações de sua emissão detidas por outros acionistas. Entretanto, existem três subsidiárias nas quais a CCR não é titular da totalidade das ações.

Com relação à Rodonorte, a CCR é proprietária de 85,92% de seu capital social. Os outros 14,08% são detidos por sócios do Estado do Paraná. A Rodonorte detém a concessão de um complexo de rodovias localizado no Estado do Paraná. A relação da CCR com os acionistas da Rodonorte é regulada por um acordo de acionistas de 10 de novembro de 2000 que permanecerá em vigor até o término da vigência da concessão da Rodonorte. Conforme esse acordo, a Companhia não pode transferir nenhuma das ações que detém na Rodonorte (exceto no caso de uma empresa afiliada), sem antes conceder aos sócios o direito de preferência na sua aquisição. Adicionalmente, em conformidade com esse acordo de acionistas, a transferência ou a oneração de quaisquer ativos fixos da Rodonorte e a realização de qualquer operação com os seus acionistas ou com afiliadas dos seus acionistas dependem da aprovação dos acionistas da Rodonorte representando pelo menos 80% do seu capital social.

Em 27 de novembro de 2000, a Companhia celebrou um contrato de prestação de serviços com a CGMP e outras concessionárias de rodovias no Estado de São Paulo, sendo partes intervenientes desse contrato o Banco Itaú S.A. e a ABCR, para a implementação e gerenciamento do sistema de identificação automática de veículos para pagamento eletrônico de pedágio denominado “Sem Parar”, cujo prazo de duração é de 6 (seis) anos. A CCR não desembolsou qualquer quantia por esses serviços; a CGMP remunera-se pela cobrança direta de nossos usuários.

A CCR presta, ainda, serviços de assessoria e de consultoria às Concessionárias, por meio de sociedades prestadoras de serviços, nas quais detemos praticamente a totalidade do capital social. Nossa administração é responsável pela definição da estratégia e coordenação das operações de cada uma das Concessionárias. Desde 18 de dezembro de 2002, cada Concessionária contrata serviços de administração em geral da Actua e Actua Assessoria.

A Actua Serviços, Actua Assessoria e Engelog, são divisões que foram constituídas para servirem de centros de serviços compartilhados dedicados às Concessionárias, com o objetivo de prestarem serviços de administração em geral, compreendendo a gestão de recursos financeiros, bens mobiliários, empresarial, de negócios, de projetos, patrimonial, administração de métodos e sistemas, análise administrativa, avaliação de riscos (de crédito e de custos), administração de suprimentos, administração de bens de terceiros, assessoria e consultoria corporativa, de recursos humanos, de pessoal e de sistemas, serviços de administração de centro de processamento de dados, de informática, coordenação da construção e desenvolvimento de solução de engenharia e participação em outras sociedades.