A Receita Líquida alcançou R$ 1.080,2 milhões no 2T11 (+20,1%) e R$ 2.123,6 (+22,3%) no 1S11. Deste total, a SPVias contribuiu com R$ 87,8 milhões no 2T11.

O EBIT atingiu R$ 481,5 milhões (+2,4%) no 2T11 e no 1S11 alcançou R$ 965,0 milhões (+6,5%). A margem EBIT alcançou 44,6% (+4,2 p.p.) no 2T11, e 45,4% (+4,2 p.p.) no 1S11. Excluindo- se a provisão de manutenção, o EBIT pro forma alcançou R$ 528,0 milhões no 2T11 e R$ 1.064,8 milhões no 1S11, com margem EBIT pro forma de 48,9% e 50,1%, respectivamente.

O EBITDA atingiu R$ 661,0 milhões (+20,9%) no 2T11 e R$ 1.323,0 milhões (+22,8%) no 1S11; a margem EBITDA alcançou 61,2% (+0,4 p.p.) no 2T11 e 62,3% (+0,3 p.p.) no 1S11.

O tráfego consolidado cresceu 12,3% no 2T11 e 14,6% no 1S11. Em bases comparáveis, o tráfego registrou crescimento de 5,9% no 2T11 e 7,2% no 1S11.

O número de usuários da STP (arrecadação eletrônica) expandiu-se em 32,5%, atingindo 2.871 mil tag’s ativos.

A Diretoria da Companhia propôs a distribuição de dividendos intermediários de R$ 1,59 por ação, totalizando R$ 701,8 milhões.

Os resultados da Companhia incorporam os impactos da Controlar, ViaQuatro e SPVias, projetos que foram incorporados recentemente e/ou que se encontram em fase de ramp up.