O sistema Anhanguera-Bandeirantes, ou concessão da AutoBAn, cujo leilão foi vencido pela CCR em 1998, representou 20,7% da receita operacional bruta em 2019. A estrada representa a maior rodovia sob concessão em termos de receita no estado de São Paulo e no Brasil.

O sistema é composto por três rodovias: a Rodovia Anhanguera, a Rodovia dos Bandeirantes e a Rodovia Dom Gabriel Paulino Bueno Couto. Atualmente, o sistema tem 316,8 quilômetros de extensão. A Rodovia Dom Gabriel Paulino Bueno Couto conecta a Rodovia Anhanguera e a Rodovia dos Bandeirantes, na região de Jundiaí. O sistema percorre uma das regiões econômicas mais importantes do Brasil, conectando a cidade de São Paulo à região de Campinas. O sistema atua junto a outras rodovias, conectando grandes centros urbanos do interior norte do estado de São Paulo ao porto de Santos e arredores, bem como outras regiões importantes do estado. O sistema é um instrumento fundamental para a integração econômica e urbana dos municípios da região.

O sistema Anhanguera-Bandeirantes divide-se em duas, três ou quatro faixas em cada direção, com dez praças de pedágio, dez bases de apoio ao usuário, cinco postos de pesagem e um centro de controle operacional. De acordo com os termos do contrato de concessão da AutoBAn, a CCR fornece veículos à patrulha rodoviária na malha da AutoBAn e paga pelo combustível utilizado. A concessão da AutoBAn foi outorgada à CCR pelo período de 28 anos, até abril de 2027, pelo estado de São Paulo, representado pelo DER do estado, a ARTESP.